A importância de um cuidador de idosos para a qualidade de vida durante o envelhecimento

Um bom profissional pode gerar impactos sociais, físicos e emocionais que ajudam a enfrentar as dificuldades da melhor idade

Envelhecer pode ser um desafio. É um período em que, em geral, a vida toma um ritmo mais calmo e sereno, mas, ao mesmo tempo, limitações podem surgir e afetar a independência dos idosos.

O desempenho de tarefas simples do dia-a-dia, como comer, se locomover, ou mesmo lembrar informações importantes, como o horário dos remédios podem se tornar um desafio.

Por isso, a presença de um cuidador de idosos pode ser essencial para garantir o bem-estar e a longevidade das pessoas mais velhas.

Principais funções do cuidador de idosos

O cuidador de idosos auxilia pessoas em idade avançada, que se encontram dependentes de assistência especializada, estejam elas doentes ou não.

Esse profissional vai ser responsável por atividades diárias, como alimentação, higiene pessoal, medicação, acompanhamento em consultas e em saídas para atividades cotidianas, como idas ao banco ou à farmácia.

Por isso, cuidados geriátricos também estão voltados para prevenção, promoção e reabilitação da saúde.

Envelhecimento da população e a saúde dos idosos

Aproximadamente 40% das pessoas entre 75 e 84 anos apresenta algum grau de incapacidade. Em idosos acima dos 85 anos, esse número chega a mais da metade.

Além disso, segundo dados do Ministério da Saúde, 69,3% dos idosos brasileiros sofrem de alguma doença crônica. Entre esses, um terço (29,7%) acumula duas ou mais.

Uma pesquisa da Sociedade Geriátrica Britânica concluiu que a quantidade de pessoas com mais de 60 anos que apresentam duas ou mais doenças deve dobrar até 2035.

Segundo os pesquisadores, existe uma relação direta entre esses dados e o envelhecimento da população.

As vantagens de um profissional com conhecimentos específicos em saúde como forma de prevenção

Nesta fase da vida, muitas vezes, as fragilidades na saúde física e mental exigem cuidados e atenção constantes.

Por isso, entre as funções de um cuidador de idosos, está a atenção a questões cotidianas como o desempenho da memória, e a frequência e disposição para alimentação.

Quando o cuidador de idosos percebe rapidamente que o seu paciente não consegue mastigar, não lembra o nome de parentes, ou se encontra com dificuldades para ir ao banheiro, por exemplo, essa percepção pode ser crucial para o diagnóstico rápido de uma enfermidade.

O cuidador de idosos conta com experiência e formação diferenciada, o que permite que esse profissional identifique sinais que poderiam passar despercebidos por pessoas da família.

Apoio a rede familiar na forma de cuidado especializado

Na vida dos idosos, a família tem um papel fundamental: o núcleo familiar é uma fonte de suporte financeiro, emocional e físico.

Esse papel se torna ainda mais intenso nos casos em que as pessoas em idade avançada contam com algum tipo de doença crônica.

Mas, a carga emocional, física e psicológica pode ser muito grande, por mais bem-intencionados e preocupados que esses familiares sejam.

Além de fornecer suporte especializado, a presença do cuidador de idosos pode auxiliar esses parentes, que geralmente têm que equilibrar sua atenção ao ancião com as exigências da sua vida adulta, como a carreira profissional e os filhos.

Comentários

Seja franquiado